Around the World

Costa Rica – 5 destinos a não perder.

O que vos posso dizer sobre a Costa Rica?

Que é um dos destinos que mais me apaixonou, por várias razões. Se procuras paisagens de cortar a respiração, uma floresta de perder de vista, animais no seu estado selvagem, rios e pântanos, se adoras o contacto com a natureza, não tens medo das alturas e gostas de desportos ao ar livre: a Costa Rica é para ti!Passamos 15 dias a caminhar, passear, visitar, descobrir a Rain e a Cloud Forest no seu estado mais puro. Não há descanso, nem lagartear horas ao sol.

Viajamos com escala no Panamá, e o tempo de viagem ultrapassou as 20 horas. Chegamos cansados mas desejosos de conhecer este país. Sabias que é o único país no mundo que não tem exército? A defesa da pátria é assegurada pelos Estados Unidos.

A Costa Rica é um país de pessoas simpáticas, que gostam de cuidar da natureza, e que vivem do turismo e da agricultura. A eco-sustentabilidade está presente nos mais pequenos detalhes, e até nas pequenas aldeias as populações reciclam o lixo.

O lema do país: Pura Vida!

A nossa viagem levou-nos, através de um roteiro pré-combinado, a 5 localidades: Tortuguero, Puerto Viejo,  Arenal, Monte Verde e Manoel António. Venham todos comigo à descoberta deste paraíso na terra!

1 – VIAGEM

Compramos a viagem na Logitravel, com voos, transfere e hotéis com pequeno almoço. Não vale a pena reservar pensão completa a não ser em Tortuguero, pois não há nada à volta do resort.

2- TORTUGUERO

O nosso primeiro destino foi Tortuguero, no meio da Rain Forest, que é um parque nacional com uma fauna e flora muito ricas. Demoramos cerca de uma hora até chegar ao resort (de barco no meio da floresta). O resort é composto por bungalows, no meio da vegetação, e acordávamos de manhã com os macacos à janela! Vimos preguiças, morcegos, jacarés, aranhas, pássaros, macacos de várias espécies, borboletas gigantes.

Tem imensas flores, e animais para observação. Dali fomos para a praia de Tortuguero (que é ao lado da aldeia de Tortuguero), local onde milhares de tartarugas depositam os seus ovos antes de regressar ao oceano. Não fomos na época da desova, mas foi fácil imaginar o cenário.

Apanhámos muita chuva, ou não fosse estarmos na Rain Forest.

Aproveitamos para fazer também canopy em Tortuguero, a mais de 50metros do chão.

 





3 – PUERTO VIEJO

Seguimos de Tortuguero para Puerto Viejo de Talamanca, uma pequena aldeia piscatória que parece outra realidade na Costa Rica. Ficamos alojados numa casa de madeira, a 10minutos de bicicleta do centro da aldeia.

Houve-se reggae, fuma-se muita erva (literalmente), as pessoas são na maioria negras, as praias são de areia branca e o mar é cristalino. A Praia, ainda selvagem  é no centro da pequena cidade, (já foi muitas vezes referenciada como uma das mais bonita do mundo) e o Parque Nacional da Cauita, um pouco norte, é um local e um passeio a não perder.

Alugamos bicicletas para passear, comemos na aldeia por um preço baixo e ficamos na praia debaixo das árvores.

É um local bom para descansar, passear e conviver com os locais.

4 – ARENAL

vulcão Arenal é uma das principais atracções da Costa Rica.

Apanhámos alguma chuva mas conseguimos ver o vulcão, inclusive a deitar fumo. No Resort onde ficamos, existem piscinas de água termal quente. Nem imaginam como soube bem após dias e dias a andar a pé no meio da floresta!

No Arenal, fizemos vários passeios na floresta, nas suas pontes colgantes (pontes suspensas) e vimos muitos animais em estado selvagem. Foram dias de muito contacto com a natureza, a respirar o verdadeiro ar puro da Costa Rica.

5 – MONTE VERDE

Do calor passamos para uma zona montanhosa e húmida, com chuvas torrenciais diárias: Monte Verde. É um monte e é verde (como o nome indica).

É uma cidade no noroeste montanhoso da Costa Rica, conhecida pelas florestas de biodiversidade nas nuvens e pelas suas pontes sobre o topo das árvores. Apanhamos algum frio, pois não íamos preparados para os 15 graus! Não deixamos a melhor impressão sobre o bem vestir do povo português! O importante é estar quente, por isso entre roupa minha e do Zé, tudo valeu!

Aproveitamos para visitar um santuário de morcegos, outro de cobras, e um borboletário. Almoçamos num restaurante na árvore e vimos muitas espécies animais, até no caminho para o hotel.


 

5- MANOEL ANTÓNIO

Última paragem, na costa sul da Costa Rica, situada na costa do Pacífico. Se procuram uma praia paradisíaca, desiludam-se que as Caraíbas nisso são bem melhores. A praia não é nada de especial, mas o parque natural de Manoel António vale muito a pena, para ver preguiças e macacos. A praia tem muitos guaxinins e macacos de cara branca.


Foram 15 dias maravilhosos, num país que adorei por muitas razões e que recomendo a todos. Nós fomos em Maio, e apanhamos chuva diariamente.

Levem impermeáveis para a chuva, calçado confortável para andar, protector solar e anti-mosquitos (para a Rain Forest), uma mochila (que anda muitas horas às costas e que tem de ser confortável), uma garrafa para encher de água.

Ponham na mala umas calças de ganga velhas (para os desportos como o canopy), uma fato de banho e uns chinelos, e roupa leve que seque facilmente (apanham-se grandes molhas). Levem um secador de cabelo, para secar o calçado que todos os dias fica ensopado!

Quem for ao Monte Verde, que leve camisolas mais quentes, meias e calças.

Aproveitem! Pura Vida!

Zanzibar, ou Hakuna Matata

Africa, Continente de terra quente, de gente de sorriso fácil e de fruta maravilhosa. Quem vai uma vez à Africa quer sempre voltar.  Berço da humanidade, as pessoas são afáveis, humildes e felizes por partilharem montes e recordações.

Na minha última viagem, escolhi Zanzibar.

Zanzibar é nome dado ao conjunto de duas ilhas do Arquipélago de Zanzibar, ao largo da costa da Tanzânia, na margem leste-africana, de que formam um estado semi autónomo daquele país. As duas ilhas são chamadas Unguja (em suaíli) ou Zanzibar e Pemba e estão separadas do continente pelo Canal de Zanzibar. Neste país, conhecido pela música Hakuna Matata, o principal é relaxar e levar a vida tranquilamente. Pole pole!

Fomos para a aldeia de Palumba, que vive da pesca. As mulheres da aldeia cultivam algas, que vendem para a industria da cosmética e para alimentação chinesa.

1 – COMO CHEGAR

Para viajar para Zanzibar, basta ter o passaporte válido por 6 meses e a vacina da febre amarela (que se pode tirar na consulta do viajante). Voamos pela Air Ethiopia e fiquei surpreendida. Os aviões são recentes, a tripulação muito querida e a comida boa e em abundância. Não conseguimos voo direto, pelo que fizemos escala em Roma, Addis Ababa e Kilimanjaro (mais de 20 horas literalmente com a mochila as costas!). Depois o transfer levou-nos diretamente para o PalumboReef Resort, gerido por brasileiros mas com toda a equipa local.  Chegamos ao fim do dia. Anoitece cedo.

Hotel – vista da piscina

Recepção do resort.

O hotel é guardado por jovens Masai, da tribo da Tanzânia,

2 – A PRAIA

A praia (de areia branca e águas cristalinas) onde ficamos era extensa e nela as mulheres da aldeia cultivam as algas. Apanhamos dezenas de conchas enormes (tão grandes que algumas tiveram que ficar em terra por pesarem demais). Os jovens da aldeia passam o dia na praia, ou a vender objectos ou excursões (que são 1/3 do valor das mesmas excursões vendidas no hotel).

A água é morna. Não tão quente como nas Caraíbas.

Falam inglês e francês fluentemente, e conseguem aconselhar em relação às excursões disponíveis. Podem regatear, que eles até aceitam bem isso e baixam os valores.

A maré sobe e desce de forma dramática!

2 –  STONE TOWN

A cidade de Stone Town é pequena, acolhedora e com imensos monumentos. Capital de Zanzibar, banhada pelo Indico, é conhecida no mundo inteiro por ter nascido nela o famoso Freddy Mercury (nome artístico de Farrokh Bulsara, que nasceu a 5 de setembro de 1946).

Tem ruelas labirínticas, lojas de rua, cheiros diversos e muito movimento. Sei que os portugueses passaram por lá, em tempos antigos e os canhões virados para o mar referem-se a Portugal nas suas inscrições! Vasco da Gama foi o primeiro europeu a desembarcar neste paraíso em 1499 e estabeleceu um domínio de Portugal durante dois séculos.

A visitar: Mercado Darajani, a casa de Freddy Mercury, o antigo forte e a casa das maravilhas.

CASA ONDE NASCEU FREDDY MERCURY

Mercado

3 – SAFARI BLUE

O BLUE SAFARI  é uma excursão vendida pelos hotéis mas que compramos aos miúdos da praia, o Ali e o Hadji.

Fomos a uma ilha comer uma refeição de lagosta e marisco, comida típica,  e paramos na barreira de coral e numa ilha de areia branca.



4 – PRISON ISLAN OU Changuu

Na viagem à Ilha dos Escravos, para além de visitar o forte onde desembarcavam os escravos para depois serem levados para a Europa, pode também ver as tartarugas centenárias que ali vivem, e cuja idade está inscrita na carapaça!

OUTROS DADOS

Pode também fazer a Volta das especiarias, uma visita a uma fazenda que cultiva vários tipos de especiarias.

Para além da cultura, a comida é maravilhosa, nomeadamente a fruta. Fazem sumo de cana de açúcar, caseiro, e espetadas de carne nas ruas. O clima é moderado (nós fomos em janeiro). Esteve quase sempre encoberto, embora com calor.

Trocamos euros e dollars pela moeda local, mas aceitam euros no comércio em geral.

A maioria da população é muçulmana.

O país pareceu-nos muito seguro.

 

FRUTA LOCAL.

Para terminar, deixo-vos com a musica que se canta TODOS os dias:

https://www.youtube.com/watch?v=wqmbVfKiDI8

Tailândia

No final de 2016 decidimos visitar a Tailândia após demorarmos algum tempo a nos decidir quanto ao destino.

Gosto muito da Ásia, embora só conhecesse Macau, e sabia que queria ir para aquela zona do globo.

Escolhemos Bangkok, Chiang Mai e Koh Samui. Fizemos as viagens entre cidades de avião – cuidado com o peso das malas em voos internos! Tivemos que vestir camadas de roupa, mudar sacos etc.

Fomos sem expectativas demasiado elevadas, pois muita gente nos disse que a Tailândia era suja, cheirava mal etc. Ai e o medo da comida….

Nada disso aconteceu. Os dias que lá passamos foram todos diferentes. Intensos e ricos em experiências. Fugimos a Puket e as ilhas Phi Phi e preferimos escolher actidades á medida e fazer nós o nosso roteiro. Vamos a isso?

1 – COMO CHEGAR

Viajamos pela Logitravel. A viagem é longa pois não fomos de voo direto mas merece cada minuto!

2 – BANGKOK

Trânsito caótico, comida de rua, tuk tuks e gente simpática. É assim que caracterizo Bangkok.

A visitar:

Wat Pho – que tem o Buda gigante inclinado.

Wat Phra Kiew e o Grand palace

Há muitos palácios!!!!!!

Os mercados noturnos

Khao san Road

O mercado flutuante

China Town

Andar de Tuk Tuk e comer Pad thai e a comida tailandesa no seu todo!

20161215_190525

A foto anterior é na rua mais louca da cidade: Khao san Road, onde aproveitamos para passear à noite, jantar e fazer umas massagens aos pés! Sim, aproveitem cada dia para fazer massagens tailandesas, que o preço é maravilhoso e saem a flutuar!

Aproveitamos para conhecer a cidade, visitar templos e o mercado nocturnos, comer na rua. Não perdemos os genuínos mercados flutuantes e jantamos na torre mais alta da capital (Sky bar e jantar  na torre) , com amigos que estavam de passagem.

IMG_2268

IMG_9527

IMG_9526

IMG_2433

IMG_9700

15608621_10157973010190215_317168087_o

Nota: não fomos ao mercado flutuante que vem nos roteiros e que se compra nos hotéis! Arranjamos taxista e fomos ao mercado Damnoen Saduak Floating Market mas sim Khlong Lat Mayom Floating Market, que para mim é genuíno e autÊntico. Compramos uma viagem de 3 horas pelos canais a um preço muito baixo

 

20161216_102145



IMG_0192

IMG_0206

CHIANG MAI

Para além dos 300 templos que vale a pena visitar (não todos credo! Escolha uns 20 no máximo), Chiang Mai oferece outras atrações bem giras! Alugamos uma scooter 125 durante um dia (6 euros) para irmos ao templo que fica no cimo do monte e que tem autênticas romarias devotas.

fomos visitar também um local onde se faz papel a partir de coco de elefante, passar um dia com elefantes (não andar em cima deles que isso a mim mexe comigo), e por fim fazer rzafting no rio. Visitamos a aldeia das mulheres girafa, compramos recordações e adormecemos de regresso ao hotel!


KHO SAMUI

Última paragem: Kho saiu. Não apanhamos grande calor nem sol, mas deu para descontrair. O resort era muito agradável. Kho Samui é uma ilha simpática, descontraída e fizemos alguns passeios de barco para conhecer pequenas ilhas perto.

Compramos as excursões no hotel.





Queremos muito voltar. A Ásia tem esta magia!

 

Samaná

<3 Around the world! Como adoro estas palavras. Nada me entusiasma tanta como viajar. Perco muito pouco tempo a fazer malas. A vida já me ensinou que em férias precisamos de muito pouco para sermos felizes.

Para praias é simples: meia dúzia de vestidos, uns fatos de banho (sim sou fã de fatos de banho), paréos, tunicas, chinelos e sandálias e lá vou eu! Não esquecendo os protectores solares! Não prescindo do meu ISDIN factor 100 que me protege e impede de ficar cheias de manchas. De resto levo cremes, produtos para o cabelo, barbatanas, e tudo o que é preciso numa praia.

Em Novembro fomos para as Maldivas, a viagem da minha vida, mas após 6 meses non stop com muito trabalho e dores de cabeça, achamos que estava na hora de fugir! Queríamos um destino de praia, com água quente, e o Caribe tem sempre algo para nos oferecer. Como já conhecíamos Punta Cana na Republica Dominicana, a escolha recaiu sobre Samaná. E olhem que foi muito bom!

Não há aborrecimento possível apesar de muita gente me perguntar o que se faz num destino destes. Eu não paro: entre nadar (ou melhor snorkelar), descobrir as espécies de peixes, de ler, experimentar desportos náuticos, fazer escursões, dormir muito, comer muito e namorar ainda mais, juro que nunca me farto!

Nesta viagem fomos conhecer o parque natural dos Haitises, as grutas com pinturas rupestres, Cayo levantado e a praia onde a Bacardio grava os seus anúnicos. Gosto tanto de andar de barco! E experimentar fazer paddle…tristes figuras digo-vos já!

As fotografias mostram um bocado do nosso dia a dia no resort Bahia Principe El portillo. O melhor da comida: a fruta e os sumos naturais.

13417688_10206827390548777_441749064586291960_n 13423820_10154414037857847_3437736619234390156_n
13428412_10154411518477847_179924388897856003_n 13428592_10154422119447847_8021923206784625270_n 13432320_10154406597727847_5706154698527317870_n 13434898_10154411515937847_7694175926978441283_n 13435356_10154414039812847_8507056088401325982_n
13466089_10154419159632847_2691721032850957000_n 13495107_10206827391428799_155218008020034437_n 13501587_10154430094237847_7443988673577567018_n 13501598_10206827390428774_3041562956702898283_n 13501738_10206827391868810_4452231176825475907_n 13501775_10154430094247847_3225020023450272398_n 13501941_10154420160932847_52760267970271531_n 13516334_10206827393508851_8156203233435248301_n

 

Taberna Moderna

Ontem fui jantar fora com um grupo de amigos e fomos à Taberna Moderna. Fiquei fã…e só de verem as fotografias vão perceber porquê. Para além do aspecto apetitoso, a comida é deliciosa e bem confeccionada, o ambiente descontraído e o Gin a figura principal no que toca a bebidas… Para quem não conhece, vale a pena a visita!

12923312_1037998546237254_739421785642050366_n 12973081_1041806279189814_598635162741863545_o 13007160_1043050945732014_8789177642540293496_n 13051544_1044293225607786_3117484980079891963_n 13082546_1045608178809624_4465616185628902915_nWebTM copy

 

Paris je t’aime

Como adoro Paris! Posso repetir vezes sem conta esta viagem que o prazer é sempre igual! Tour Eiffel, Nôtre -Dame, Eurodisney, pastelarias, lojas, passeios, crêpes, bord de la seine, livrarias, bistrots, sei lá…a lista de maravilhas é longa….

12313738_10154172617272847_5484568951073576399_n

1469_10154172603242847_6444082690632910696_n 1819_10154174500137847_1399347596630515415_n
580380_10154168350782847_6469112602615798696_n 936595_10154165851687847_3845793172055565568_n 944059_10154172630717847_7860723086633883671_n 944390_10154165216037847_8276996715916851168_n 1460979_10154165851262847_4040755848758658439_n 1915339_10154172630812847_1454682152466053590_n 10356775_10154168350422847_6482449629521213125_n 10392202_10154168350292847_6136319497666368865_n 10399691_10154168350847847_8461449170397003331_n 10462872_10154175829337847_3140927169216527748_n 10600582_10154174500217847_108860503152008308_n 11202587_10154174500042847_8216766776862535898_n 11220141_10154168350877847_2604764860438393276_n 12119077_10154172603182847_8925077831184470638_n
12512362_10154165851167847_8523703988878341267_n 12832557_10154168350337847_4286827259862269551_n

Mais uma viagem a Doha

Mais uma vez o destino levou-me a Doha, cidade onde me sinto em casa e não teria qualquer problema em viver! Ja brincam comigo dizendo que devo de ter sido Odalisca numa outra vida…quem sabe? A verdade é que sou fascinada pela cultura árabe, não a fundamentalista mas sim a milenar, com tradições, comida e cheiros tão típicos. Gosto da culinária, do ritmo da cidade, da arquitectura moderna, das ruas limpas e acima de tudo gosto de Doha porque é uma cidade onde todas as nacionalidades convivem! Ouve-se falar todas as línguas na rua e isso a mim lembra-me a minha infância, onde cresci com pessoas de mais de 10 países!

Sou feliz em Doha! Ja o fui da primeira vez e esta viagem contrariou o ditado que diz que não devemos voltar ao sitio onde fomos felizes…eu voltei e acabei por adorar! Passei a passagem de ano com amigos no Marriot, numa festa brasileira! Viva 2016, que seja um ano maravilhoso para todos!


8292_10153984900277847_742779460531269336_n 230205_10153981807297847_3355383262544453129_n 936564_10153982661442847_3651152402755741426_n 945887_10153984900517847_3289526256386903297_n 1005339_10153981807417847_7152899679690883602_n
1382943_10153979150827847_319301881068321981_n 1507068_10153985265227847_7387552060987877252_n 1610065_10153984900397847_2943804635105712740_n 1913900_10153985265242847_6039084884787998802_n 10290623_10153982661557847_7482241253081624634_n 10308183_10153976371262847_8752017342284416550_n 10369747_10153982023982847_8615311269542540592_n
10399842_10153982608447847_254772121873695581_n

 

Maldivas…quero voltar para a Ilha!

O ano de 2015 foi muito intenso, em tudo. Desde trabalho, relações pessoais, novos desafios, mudanças na minha vida profissional. Estava exausta, e na altura de escolher o nosso destino de férias, a condição foi: paz total. E o melhor sítio é sem dúvida as Maldivas, um país constituído por mais de 1000 ilhas, assente em vários atóis, com águas quentes, calor , peixes e diversão. Adorei, e não preciso de vos escrever muito para perceberem a beleza do local. Basta ver as fotos.

Fomos para a ilha Vilamendhoo  (que tem o Vilamendhoo Resort & Spa) e passei os dias a nadar com peixes (tubarões incluidos), andar de barco, pés descalços, e descansar. Recomendo vivamente…e afinal nestes locais é preciso bem pouco para sermos felizes.

 

12248613_10153881087232847_907422937_n

12246599_10153881385187847_2734995327562920679_n 12246614_10153879209077847_2686138356010926359_n

12241175_10153884465652847_6385645362781751594_n 12243648_10153879822707847_703426757_n 12244094_10153877777572847_1822988700_n11040942_10153881382557847_7854498339408883064_n 12208526_10153881088027847_631791767268794923_n 12227221_10153880737232847_163545755143366730_n 12239569_10153881383502847_1389832489907866218_n

Lagar do Cais – no cais do Sodré

Como jantei bem ontem! A convite de um casal amigo fui jantar ao Lagar do Cais. Recomendo: Pela decoração, pela comida, pela música ao vivo! Valeu a pena!

www.facebook.com/lagardocais

11401248_978187265564923_6703774267797202808_n 11825970_995233643860285_8828359652201629724_n lagar-do-cais

11182348_941725525877764_1879677108527638364_n lagar-do-cais-restaurante-sofisticado-tapas-cais-do-sodre-lisboa-1

BERLIM – escapadela!

Fui a Berlim! 4 dias de paz e passeio, nas ruas de cidade, a pedalar a partir do célebre muro, hoje em dia grafitado. Fiquei surpreendida pela positiva. A cidade é calma, com pouco trânsito, muita bicicletas e respeito por quem pedala nelas. Estava com medo de viver a verdadeira queda da Sandrina em Berlim, mas aguentei-me e ao longo dos 20 km que fiz, e nem uma única vez fui ao chão.

Berlim tem muito para ver e visitar! entre lojas, museus e monumento, há para todos os gostos! A comida é variada e multicultural e as salsichas alemãs são obrigatórias! 4 dias que voaram!

Até a minha próxima viagem…cheira-me que vai ser num destino bem mais quente!

11997940_10153748068012847_1880765945_n

11758773_10153753329537847_822999587_n 11823997_10153753331252847_265831286_n 11995505_10153753329752847_1141466435_n 11997373_10153753329907847_757656156_n 11997991_10153753330907847_658995914_n

11259767_10153750009982847_1755883382466272013_n 11668008_10153750009157847_736471771_n 11944825_10153750001162847_2085737906_n 11949330_10153750012697847_9030295364132307249_n 11949483_10153750010467847_6362628141441281643_n 11992641_10153750003292847_31657250_n 11995482_10153753330742847_1104104198_n 11997974_10153749998382847_820052518_n

Página 1 de 3123